• Teaser

Pedra Azul

Pedra Azul: local onde se respira ar puro e turismo 24 horas por dia

A Pedra Azul é o maior símbolo de Domingos Martins. A cor vem de líquens aderidos à superfície de toda a rocha. Com céu limpo, estes refletem tons de anil. Não é a maior montanha do Espírito Santo. Mas, sem dúvida, é uma das mais belas. Um maciço de granito forjado pela natureza há cerca de 550 milhões de anos.

Uma saliência em forma de lagarto que parece subir na Pedra Azul é outro detalhe que chama a atenção. Recebeu, por isso mesmo, o nome de Pedra do Lagarto. O conjunto atinge 1.822 metros de altitude. Isso tudo fica no centro de uma reserva florestal com 1.240 hectares de Mata Atlântica, fazendo parte da reserva Parque Estadual da Pedra Azul. Os aficionados em lazer contemplativo podem percorrer trilhas ao longo de toda a área.

Os passeios são em companhia de monitores, por caminhos repletos de bromélias. Num deles, galga-se uma pedra de cerca de 800 metros de altura, para se chegar até piscinas naturais. A floresta é rica em tatus, gambás, araras, cachorros do mato, pacas e saguis de cara branca. Há ainda muitos espécimes animais ameaçadas de extinção, como veado campeiro, ouriço preto, gato do mato, anta, macuco e o macaco da espécie mono carvoeiro.

Pedra Azul é a parte do Município de Domingos Martins e da região de montanhas do Espírito Santo onde a exploração do turismo comum, do turismo ecológico e do agroturismo está mais avançada. Estão funcionando ou em construção diversos hotéis e pousadas de qualidade. A cada dia cresce o número de casas de chá, restaurantes, lojas de artesanato e pontos onde se comercializam os produtos agrícolas de toda a região, notadamente os morangos.

Domingos Martins: pelas florestas, é conhecido como “A Cidade do Verde”

Domingos Martins é praticamente a porta de entrada da Região de Montanhas do Espírito Santo. A criação como Município se deu no início da República, através do decreto de 29, de janeiro de 1893. A instalação oficial ocorreu naquele mesmo ano, em 19 de dezembro. Em sua origem, foi desmembrado de Viana. Denominado inicialmente de Santa Isabel, passou a chamar-se Domingos Martins a partir de 1921, em homenagem ao grande herói capixaba.

O relevo de Domingos Martins é montanhoso e fortemente ondulado. Os pontos mais elevados são a serra do Tamanco, com altitude de 1.909 metros, e a Pedra Azul, com 1.822. As poucas partes planas foram praticamente todas ocupadas pelos diversos núcleos habitacionais. O mais importante deles é a sede, chamada de Campinho. Os Distritos são Aracê, Araguaia, Melgaço, Paraju e Santa Isabel. É cortado pelos rios Jucu, com seus braços Norte e Sul, Melgaço e Tijuco Preto.

A história de Domingos Martins, que remonta ao início do século passado, foi iniciada com a chegada ao local de 47 famílias de imigrantes alemães. Eles fundaram a primeira colônia desta nacionalidade no Estado do Espírito Santo. E se adaptaram muito bem à região, onde a natureza, ainda hoje, é muito exuberante. Graças à altitude e à área verde da Mata Atlântica, o clima varia do fresco ao frio, ressaltando a diferença entre litoral e montanha.

Quem visita Domingos Martins observa logo as marcas fortes da cultura alemã. Sua população cultiva com orgulho costumes e tradições dos antepassados que desbravaram e domaram aqueles solos. E isto se observa principalmente nas festas, nas danças e na culinária. São variadas as opções de biscoitos, pães, geleias e doces caseiros produzidas pelos próprios moradores. Quitutes à venda no pórtico que dá acesso à sede ou em pequenas lojinhas na cidade.

Distante cerca de 50 quilômetros de Vitória, a capital do Estado, e com a melhor infraestrutura turística entre os Municípios serranos, Domingos Martins possui hotéis, pousadas, restaurantes e casas de chá para atender a todos os gostos, do mais simples ao bastante sofisticado. As corredeiras, cachoeiras e montanhas são atrações permanentes de lazer e esporte. O museu da Casa da Cultura, com um bom acervo, traz um painel de toda a saga da gente que povoou o território.

Domingos Martins é o Município do Espírito Santo que tem a maior precipitação de chuvas. Isto contribui para que seja conhecido como “A Cidade do Verde”. E uma curiosidade: a segunda maior reserva ecológica do Município, a Kautsky, é particular, sendo muito visitada por biólogos do mundo inteiro devido à variedade de bromélias, begônias e orquídeas. Ela pertence ao estudioso Roberto Kautsky, que dedicou e ainda dedica grande parte de sua vida ao estudo destas plantas.